terça-feira, 19 de agosto de 2008

Retiro no Monte Carmelo

Eu sempre pensei que o Monte Carmelo fosse um monte onde o profeta Elias tinha visto uma nuvenzinha depois de três anos de seca, e profetizando disse que a chuva se aproximava. A chuva veio e foi a salvação de Israel. Com o tempo e a Tradição, a Igreja viu nessa nuvenzinha humilde uma prefiguração de Nossa Senhora que trouxe em seu seio e coração, a salvação de todos os homens, raças e nações, Nosso Senhor Jesus Cristo. Assim nasceram os Carmelitas e a Ordem de Nossa Senhora do Carmo.
Até aqui está tudo certo quantos às informações que eu tinha, só o que não bate é o Monte Carmelo que é uma cadeia imensa de montanhas, uma região inteira montanhosa ao redor de Haifa, na Galiléia, a região mais fértil de Israel, localizada ao norte do país, e não um monte. Para mim isso foi uma surpresa.
Inclusive porque existem dois lugares dedicados ao Profeta Elias: uma gruta que fica em Haifa, voltada para o mar, onde ele rezava, e de onde mandava um servo ficar a postos, olhando para o horizonte, a fim de ver algum sinal do céu que anunciasse chuva, tão desesperadoramente esperada. Sobre esta gruta há uma igreja construída, aberta ao público, muito linda, (comentei a respeito dela na festa do dia 16 de julho, dia de N.Sra. do Carmo), que faz parte do Carmelo masculino, bem grande, que oferece em seu terreno uma enorme infra-estrutura privilegiada para acolher peregrinos. Quase um hotel e há inclusive padres que ciceronam peregrinos pela Terra Santa. Esta região da cidade de Haifa está localizada num bairro que se chama Monte Carmelo. Só que o Monte Castelo, como comecei a explicar, se estende montanha acima, passa pela vila de Isifiya onde moro e segue até a próxima vila chamada Delya, predominantemente muçulmana-druzi. Nesta vila, há uma outra construção dedicada ao profeta Elias que se chama Murahka que se localiza na parte mais alta de Delya. Também lá, é uma comunidade de padres carmelitas que se responsabiliza pelo lugar santo. O superior, inclusive, padre Alberto, mexicano baixinho, de 38 anos, muito alegre e comunicativo, é grande amigo da Comunidade Shalom, nos confessa a todos e, quando pode, celebra aqui em casa em Português.
Na Murahka há um carmelo de mais cem anos, quando foi dada a posse da terra aos carmelitas - história comprida que não vem ao caso. Neste local de panorama deslumbrante, o profeta Elias desafiou os 400 falsos profetas de Baal e mandou descer fogo do Céu, consumindo de uma só vez as ofertas, provando assim quem era verdadeiramente o Senhor do Céu e da Terra, o Deus Altíssimo. A capela deste carmelo, aberta ao público, é de um bom gosto de tirar o fôlego. As citações nas paredes de pedra, escritas em árabe e em hebraico, contam este episódio descrito no livro dos Reis. E o altar se ergue sobre 11 grandes pedras (o altar é a 12a pedra), simbolizando as tribos de Israel e onde o verdadeiro e definitivo sacrifício da Aliança é celebrado. Os poucos ícones espalhados são a respeito do profeta ou santo Elias, como é amado e venerado nas três religiões monoteístas da Terra Santa.
Foi na Murahka que eu passei o sábado em retiro. Não precisa nem dizer que, no final do dia, a vontade era continuar por mais dois dias, ao menos, aprendendo a silenciar o coração e ouvir o silêncio. Foi muito bom, é o que posso dizer. É um aprendizado a vida de oração, o estar com Jesus e em sua presença, mais ainda descobri-lo e adora-lo vivo em mim.
Talvez o maior de todos os males que nosso século XX viu crescer foi o barulho externo que nos deixa agitados e periféricos, quase que incapazes de parar para ouvir. Ouvir a nós mesmos e a voz de Deus, pelo Espírito dentro de nós. E o resultado dessa barulheira é a quase impossilidade também de ouvir o outro, qualquer outro.
Fotos? Não as tirei, de propósito, se não era ainda mais uma coisa a me agitar os pensamentos e roubar a atenção do que eu necessitava fazer: como Maria, estar aos pés de Jesus. Shalom!

3 comentários:

Anônimo disse...

QUERIDA ELENA, QUE BELA AULA DE GEOGRAFIA, HISTÓRIA E BÍBLIA VOCÊ NOS DEU SOBRE O MONTE CARMELO. CONTIN UE! ISTO É ÓTIMO! VOCÊ ESTÁ DANDO UM JEITO DE GUARDAR ESSAS SUAS MENSAGENS ESCRITAS DE ALGUMA FORMA? FUTURAMENTE VÃO SERVIR PARA ALGO MAIS DO QUE PASSAR PELOS ARES E SER APAGADAS.GUARDE ISTO!
DEUS A ABENÇÔE! TRINITY

Anônimo disse...

bnbnbnb

Seuly Pessoa de Luna disse...

Querida Elena,
Meu nome é Suely. Como Carmelita secular, brasielira, paraibana, tenho muita inveja de ti. Pois gostaria de viver na Terra Santa, e admirei imensamente os seus escritos pois me fizeram sentir saudades da Terra Santa,pois eu queria FAZER UM RETIRO DESTES.
Meu e-mail, suelyluna@bol.com.br