segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Nova Escola em Haifa

O Arcebispo Elias Chacour, acabou de inaugurar a Escola de Santo Elias filial de Haifa do complexo educacional M.E.E.I (Mar Elias Educational Institutions), que fica em Ibillin, vila do extremo norte da Galiléia. São 110 alunos distribuidos entre as 7a, 8a e 9a série, de maioria cristã mas com presença muçulmana entre os jovens também. Tive certeza disso ao ver as mães de véu, com a cabeça coberta, como é o jeito das mulheres muçulmanas se apresentarem publicamente, na breve cerimônia de inauguração da escola, da qual acabei de chegar com alguns outros funcionários da Cúria que acompanharam o bispo, para prestigiar.


Ele, sem dúvida, é um desbravador, que aceitou o desafio e o convite feito pelo prefeito de Haifa para abrir mais uma escola cristã na cidade para ajudar na formação das novas gerações, cada vez mais perdida nas drogas, na falta de valores existenciais e sem sentido de vida. E aqui e em todo o mundo, o mesmo script e roteiro do filme é rodado. Mudam talvez os cenários e o idioma mas a juventude continua sendo impelida à agressividade pela falta de referências humanas verdadeiras que lhes ensine a transcender e dar a vida por grandes e verdadeiros ideais e não a ideologias que provaram dar com os burros n'água.


A educação e os professores sempre tiveram e puderam exercer grande influência na vida de todos nós, pois quem não foi aluno um dia? E a Igreja é mestra neste campo há centenas de anos. Com crises ou sem crises, pois grandes lideranças e intelectuais do último século que perderam a fé e se tornaram ateus tendo estudado em colégios católicos, de padres jesuítas, por exemplo, a educação sempre foi um campo privilegiado de semeadura da Igreja não somente da fé e da catequese mas dos valores mais verdadeiramente humanos e de respeito à vida que somente o Catolicismo ensina.


E aqui também o bispo Elias Chacour crê e aposta que alguma esperança para a solução do conflito entre árabes e judeus, acirrado depois da criação do Estado de Israel e do movimento sionista, esteja na convivência pacífica e fraterna entre diferentes comunidades religiosas que se sentam lado a lado, na infância e juventude para aprender matemática, geografia, ou fazer parte do mesmo time nas disputas inter-escolares de futebol e outros esportes, e que aprende a guardar e a respeitar os feriados religiosos uns dos outros.


Bispos como este têm ação profética e escrevo no plural porque me lembro de D.Adélio Tomasin, bispo emérito de Quixadá, no Ceará, que tem feito uma silenciosa - nem tanto assim! - revolução no sertão central do estado através da educação, após ouvir, acolher e responder ao apelo feito pelo Papa João Paulo II quando da sua segunda visita ao Brasil. O quanto estas pessoas, jovens e adultos, funcionários e professores da Faculdade Católica Rainha do Sertão são evangelizadas, formadas na fé, catequizadas e verdadeiramente conhecem Jesus Cristo como Deus e Senhor, é um grande mistério que cabe a Deus somente, Ele que é o Agricultor, a julgar e medir. Mas que o Reino de Deus tem se espalhado não há dúvida.


A nós que somos seus servos, cabe dispor o terreno dos corações, cabe interceder e testemunhar e trabalhar com esperança e afinco mesmo consciente de que somos poucos, pequenos e também necessitados, muito necessitados, sem jamais desistir. Graças a Deus existem homens e mulheres neste mundo, alguns consagrados, leigos, celibatários, outros não, que são líderes do quilate destes dois bispos, que não somente remam contra a maré, mas como bússolas sabem apontar para o verdadeiro horizonte.

Um comentário:

Marilene disse...

Elena, sou da Obra Shalom do Rio, grupo Kairós. Se vc encontrar pe.Roberto de novo, por favor diga a ele que muitos leigos como eu estamos sentindo a falta dele nas festas da Igreja,no Tocão deste ano que dizem que não ocorrerá mais.O sacerdote mais apaixonado pelo Senhor no véu do Sacramento está longe do Brasil.Shalom.