segunda-feira, 15 de junho de 2009

Festa do Casamento - 14 de junho à tarde

Teve fotógrafo profissional durante a cerimônia religiosa e na festinha no salão paroquial, mas até a gente ter acesso a estas fotos, o gosto da novidade já se foi e o blog fica sem novidade, daí que minha câmera foi mais uma vez acionada para registrar alguns momentos, mais família. Assim como família, os irmãos e irmãs de Comunidade espalhados pela web, podem ver o casal comigo já na segunda-feira.

A cerimônia foi comovente e muito ungida. Graças a Deus a igreja estava bem cheia e as pessoas compareceram por causa da cerimôria religiosa pois sabiam que a festa seria simplérrima. Estavam presentes cinco padres melquitas, dois maronitas, o arcebispo Elias Chacour, um padre franciscano, um diocesano brasileiro e um polonês, dois carmelitas... fez falta o padre Alberto. Nosso bispo falou 'muito bonito' e se dirigiu ao casal de modo muito pessoal, chamando-os todo o tempo de 'meu filho e minha filha'. Fez um elogio público à Comunidade e à Vocação Shalom, por causa do testemunho que damos, dizendo que fazíamos parte da família católica da diocese da Galiléia e que ficava edificada conosco. O que é belíssimo é porque nós só entendemos em mais detalhes o que ele disse depois da cerimônia, já que a cerimônia exige o árabe clássico, desconhecido até mesmo daqueles que sabem bem o árabe popular, fazendo assim com que toda a glória ficasse para o Senhor e o testemunho do bispo atingisse o coração dos que estavam presentes.

Quebrando todos os protocolos e tradições, mas com a autorização devida, no fim da cerimônia o casal leu em português a carta de 'consagração e oferta do próprio matrimônio' a Deus, no carisma Shalom, sempre à serviço da Igreja e da Humanidade, e este foi um momento muito tocante. Foi feita uma versão resumida da carta em inglês e no árabe e por isso, a cada parágrafo que o casal lia em português, o próprio Dom Elias Chacour, lia o correspondente em árabe, o que surpreendeu a assembléia. No fim a Lorena como RL (responsável local) acolheu-os como casal consagrado na Comunidade de Vida e entregou-lhes a Cruz Bizantina de S.Francisco para ser colocada em lugar de honra, como sinal de consagração e compromisso. A Silvânia nesta hora desatou a chorar... ela e todos nós dos primeiros bancos. Foi lindo demais! Os comentários na festa e no dia seguinte só falavam disso: que o casamento foi cheio da presença de Deus, foi crescendo em unção e tocou a todos. Como disse o bispo: 'it was a prayerful ceremony, we could feel and testify it!'.
Coisa mais linda! Todos nós chiquérrimos! Em ordem: o Leandro (que quase morreu de tanto nervoso para tirar a noiva do carro e levá-la até a porta da igreja... estava com terno emprestado do Dr. Mussa, médico do asilo), Yara, eu, os noivos, melhor, o casal, Lorena (muito bela, vestida a rigor, como madrinha), Cristina, Viviane (que estava com um vestido vinho escuro, muito lindo que na foto parece preto, mas não é) e Paula Raquel, a Tocaia, equatoriana que faz experiência na Comunidade.
O casal comigo e Cristina que representamos a Comunidade de Aliança Missionária. Este meu vestido mais que batido em Fortaleza, fez o maior sucesso! Eu também acho ele lindo...herança da Jan.

Fim do fim da festa. O casal já tinha partido para Tiberíades para a lua de mel, de carona com uns amigos, e nós, de Cinderelas voltávamos às nossas bermudas e camisetas de Gatas Borralheiras para as arrumações finais. Os irmãos de Nazaré tomavam o último copo d'água para Lorena levá-los de volta a Nazaré quando o boquê da noiva foi encontrado e jogado, de costas, pelo Marquinhos. A Vivi, 'sem perceber' deu um pulo e o pegou no ar... foi uma risada só...coisas que o genial Freud nos ensinou a reconhecer como 'ato falho' e que eu, usando a última carga da bateria consegui registrar.
A pedidos, tendo em vista a verdade que deve sempre prevalecer, quem achou o buquê e pegou-o com gosto foi o Marquinhos que meio sem jeito e sem saber o que fazer jogou-o pra frente... ele não está na foto mas nós todas somos testemunhas do fato.
Diz a tradição que Santo Antonio é casamenteiro, mas acho que no caso do Marquinhos e da Viviane, é melhor pedir a intercessão dos três maiores especialistas do mundo em estado de vida: Nossa Senhora, S.José e Arcanjo Rafael... Rogai por nós! Melhor: rogai por eles!

O casal agora em lua de mel se prepara para nos encontrar na missa daqui a dois dias pois toda a casa sai de férias no dia 16. A coincidência é que a casa que nos foi emprestada também fica em Tiberíades...Isso é que é grude! Bendito seja Deus por tudo e por sua misericórdia que é eterna! Nossos olhos a viram e nossos mãos a tocaram fortemente estas últimas semanas.
Até breve!
Shalom!

2 comentários:

Viviane Cerqueira disse...

É claro que eu tenho que contar minha versão né tiaaaaaaaa!!!!! o Buquê é do Marquinhos!Isso precisa ficar claro!! kkkkkkkk E eu estava tão cansada, e ainda com tanto trabalho, que peguei com reflexo rapído o que vinha em minha direção!!!!! É as risadas foram muitas!! Eu já de gata borralheira pegando o buquê jogado pelo Marquinhos sentado!!!! Ele tinha que aprontar alguma!!!!! kkkkkkkkkkkkkk Mas valeu tudo, todo o trabalho, todo o cansaço, Deus foi fiel em cada pequeno detalhe, foi lindo mesmo tudo! Vamos colher muitos frutos!

Amigos do Shalom Petrolina-PE disse...

Que Deus abençoe esta união.
bjs
Na alegria de sermos Shalom.