domingo, 20 de julho de 2008

S.Charbel e S.Elias - Um mês de missão

Infelizmente nesta foto houve quem ficasse na sombra, mas aí estão todos os que moram em Isifiya comigo. Cheguei há exatamente um mês e, coincidentemente pude participar hoje de uma grande festa na vila e em todo o mundo cristão oriental, pois dia 20 de julho é dia de S.Charbel, monge libanês, muito importante para os cristãos da tradição maronita e de Mar Elias ou Santo Elias (o profeta do Antigo Testamento), importante para todas as tradições. Inclusive muçulmanos e judeus o respeitam e veneram. Na missa pela manhã, na igreja de rito melquita, havia um ícone belíssimo representando o profeta.

Neste mês já vivi tantas coisas... sinto-me grata e em paz, mesmo sabendo que a missão mal começou. A vida comunitária entre os irmãos corre tranqüila porque como somos todos mais adultos e, portanto, mais amadurecidos, inclusive na experiência de vida em comum, no exercício das virtudes, no respeito dos limites e na responsabilidade dos deveres de cada um, ninguém deixa a peteca cair - pelo menos por enquanto. Não deixa de ser fruto também de uma graça sobrenatural que é a experiência de partilha de uma mesma vocação, gerada e vivida na fragilidade humana - somos vasos de argila - mas regada na oração e sustentada pela concretude do amor de Jesus, vivo e ressuscitado em nós e no meio de nós - o tesouro guardado nestes vasos. Não dá para explicar muito, dá para viver, dá para ver. O bom da vida comunitária é a alegria, é a companhia, é a correria. Todos trabalham muito, mais ainda porque vivemos todos em Isifya mas a maioria trabalha em Haifa e por isso é um tal de sobe e desce de cá para lá e de lá para cá, que é uma loucura. Em Haifa temos os irmãos da Obra, árabes, paroquianos, jovens, adultos e casais, que são acompanhados e freqüentam o grupo de oração e o Centro de Evangelização (o que foi inaugurado dia 9 de julho). Também em Haifa há a pastoral com os judeus que fica por conta da Viviane que foi a única que estudou hebraico até agora. Aqui na vila temos o asilo que mescla recursos do Estado e da Diocese e que está sob a responsabilidade da Comunidade. Há os profissionais das áreas médicas, de terapia ocupacional, cozinheira, motorista, etc, mas quem faz companhia, resolve todos os problemas e coordena tudo é o Shalom. Como todos sabem, em missão fora do Brasil, não há nenhuma 'tia' para nos ajudar a cozinhar, lavar roupa, passar roupa, fazer faxina na casa. Todos fazem tudo. Daí estarmos semre ocupados, e isso é muito bom. Ninguém tem tempo de 'implicar' com ninguém... Há momentos de lazer comunitário - vimos no computador uma comédia ótima no sábado - e há momentos livres também, como é o meu agora 'pendurada' no computador, mas acho que o segredo de tudo mesmo é a graça da vida de oração pessoal e comunitária que transborda numa convivência salutar. O rapaz da foto acima com blusa meio alaranjada, o Camilo, despediu-se ontem pois saiu de férias e depois segue para a Tunísia, na África, onde será aberta uma nova missão no mês que vem. Como ele já fala razoavelmente o árabe, foi escolhido. Vamos sentir falta dele. Que o Senhor o abençoe! E que S.Charbel e S.Elias intercedam para que ele faça com perfeição e alegria a vontade de Deus.

Por fim queria lembrar a alegria de ter ouvido o Evangelho de hoje, a parábola do joio e do trigo, que crescem paralelamente por causa da paciência de Deus, que sempre espera que seus filhos se voltem para Ele. Que despertem de uma vida simplesmente funcional e periférica e se lembrem de seus corações, de suas almas, e do amor revelado aos homens, por Deus Pai, na pessoa de Jesus. Deus é tão simples, a vivência do próprio batismo é tão simples, correr de volta para a casa do Pai é tão simples...mas não deixa de ser mistério porque acontece no interior do coração de cada pessoa e este momento do 'toque do Senhor' é suave e é uma graça particular, cuja metodologia não se repete. Shalom!

Um comentário:

bill.sala disse...

E tem como pensar no nome dessa cidade sem ser com o sotaque:

(m)izifia!

Bjs