sábado, 3 de janeiro de 2009

As Fotos Prometidas e Alguns Comentários

Muitos amigos e irmãos, além da família, estão aflitos por mais notícias. Não tenho muitas outras coisas a dizer além daquelas que todos vêem pela TV. A diferença é que aqui a gente ve a reação dos próprios árabes-cristãos, outros árabes-druzos que já passaram por várias guerras e que conhecem por dentro como são as relações com Israel. A maioria destes têm horror dos terroristas e reconhece que muitas vezes as vítimas do Hamás são plantadas, forjadas por eles mesmos! Também há um horror com o excesso de força de Israel que acaba gerando reações desta natureza! Quando esta guerra começou a ponto destes extremos? Quando da criação do Estado de Israel há 60 anos...

Me sinto incomodada por pensar que estão rezando só por mim e pelos irmãos de Comunidade. Entendo até que seja um pouco assim, mas que ninguém se esqueça de interceder pelos cristãos, pelos padres e por todos que estão sofrendo lá em Gaza, por conta da loucura que o ódio e a sede de vingança quando alimentadas, geram no coração das pessoas. Nunca pensei que minha fé fosse ser tão provada... porque em situações extremas como essa a gente verdadeiramente percebe que qualidade de fé que tem, ou seja, onde ela está sedimentada, fundamentada... se não for na Palavra de Deus e no testemunho de fé de todas as gerações que nos antecederam na história, é fácil da gente duvidar, por exemplo, do valor e da força da oração. A nossa fé conta com as emoções e os sentimentos mas não pode parar ali.

Os ataques de hoje que vieram do Líbano foram uma provocação de um grupo qualquer extremista, que não o Hezbollah, e é evidente para todos que o Líbano não entrou em guerra com Israel. Ainda pelo menos. A cidade atingida faz divisa com o Israel e pode ser avistada de Haifa. Houve dois feridos com escoriações leves, mas podia ter sido muito pior. Uma das internas do asilo de Isifya ia se transferir hoje, depois do café da manhã, para este asilo atingido em Nazariah, mas mudou imediatamente de idéia...

Muitos acham que a guerra vai se alongar em Gaza e que vai se estender até a Galiléia com a entrada do Líbano no confronto. Mas a maioria quer crer que o Egito e a França vão negociar um cessar-fogo rápido. A questão é que a Palestina precisa de liberdade e não somente de cessar-fogo.

Ontem em casa na nossa reunião semanal de célula, que une Comunidade de Aliança (Cristina e eu) e os outros seis da Comunidade de Vida, houve uma longa explicação bem prática do que fazer se houver uma situação de emergência, com sirene e alarme, como aconteceu em 2006. Estas explicações foram dadas pela Viviane que participou de um curso oferecido periodicamente pelo Governo de Israel para situações de emergência, seja de guerra, terremoto, tsunami, etc, para todas as pessoas que tenham algum tipo de atividade que reuna mais de dez pessoas. No caso da Comunidade temos o asilo e como a Vivi é a única que fala o hebraico, ela pode aprender estas regras básicas de segurança e sobrevivência e nos retransmitir. Israel tem ISO sei lá quantos mil em situações de risco e terremotos... é especializado em tragédias e não sei se alguém se lembra mas todas as vezes que no mundo alguma tragédia dessa natureza acontece as primeiras equipes de socorro a serem acionadas são as israelenses.

Eu achei ótimo aprender qual o lugar da casa mais seguro, o que fazer, como se sentar, quanto tempo ficar, onde se esconder se estiver na rua, dirigindo, num prédio ou numa casa. O que fazer com os idosos que estão sob a responsabilidade da Comunidade... Graças a Deus aprendemos coisas simples que esperamos nunca precisar usar mas que podem nos ajudar a não perder o controle, que é sempre o pior, numa emergência. Me fez lembrar a frase lapidar da Dra.Zaida Barbosa, infectologista, a respeito da AIDS: 'onde não há informação há fantasia'. Acho que essa frase pode ser aplicada a tudo.

Antes de nos reunirmos para estas instruções e orientações, partilhas e perguntas passamos uma hora na capela rezando, louvando o Senhor por sua misericórdia que não se cansa de ter paciência conosco e com toda a Humanidade, e intercedemos humilde e confiantemente como carisma de Paz, como Shalom, pela Terra Santa. O tempo todo ficava no meu coração a pergunta: 'quem somos nós Senhor para mudar alguma coisa diante de tão complexa e terrível situação? diante de tantos Golias?'. Mas bem em frente a mim, na capela, estava o presépio e me detive naqueles poucos e minguados pastores, louvando ao Senhor, adorando o Menino... seguramente eles não faziam idéia do valor de sua oração... da mesma forma nós. Não digo isso por pretensão, digo por constatação. Quem importa é Jesus! É Ele que é o Príncipe da Paz e o Senhor da Vida. Somente Ele tem o coração de todos os homens em suas mãos, e todos são todos. Por isso a gente confia, espera, louva, se prepara, tenta fazer atos repetidos de esperança e fé, sofre também, fica aflito, rói as unhas e os dedos, tem dor de cabeça, mas fixa os olhos e o coração no Ressuscitado que passou pela Cruz. Só Ele tem a medida da misericórdia que cada um precisa. Só Ele entende até as entranhas o que é o sofrimento humano. Só Ele pode cobrir toda dor e todo medo. A mim não cabe entender, a mim cabe fazer somente o que de mim é esperado a cada momento. E neste hoje como missionária e a mim cabe confiar em unidade com todos de casa e com toda a Igreja.

E agora umas belas fotos do passeio do dia 6 porque esse papo de guerra é muito estressante.

Esta é a visão do Lago de Tiberíades ou Mar da Galiléia, do alto do Monte das Bem-Aventuranças. Simplesmente lindo!

Na varanda que contorna a Igreja das Bem-Aventuranças esta foto de recordação de uma tarde linda de inverno.

Na beira do lago onde tem uma igrejinha do primado de Pedro. Foi aqui que Jesus perguntou a Pedro três vezes se ele o amava, confirmando sua autoridade. Como eu rezei por todos os padres que conheço... também pelos seminaristas, pelos vocacionados desde a infância (Luquinha, ess foi pra você!)... como louvei o Senhor pela graça inefável da fé católica... como pedi ao Senhor que nos ajudasse a sermos fiéis para que também nossa vida lance sementes fecundas para o Reino de Deus, para as próximas gerações... na Terra Santa a gente vira 'pidão', usa e abusa do direito de interceder...bendito seja Deus!

Na foto estamos: Hermano, Lorena, eu e Geórgia

Essa aguinha verde no fundo é o Rio Jordão. Não foi exatamente aqui que Jesus foi batizado porque o local exato agora está em território da Jordânia e só é aberto a visitações uma vez por ano, mas em nome do turismo os judeus construiram este agradável local em Tiberíades, bem no início de onde o rio Jordão nasce a partir do Mar da Galiléia. É show! É lindo mesmo!



Um comentário:

angela miranda disse...

Elena, menina, passei a limpo a leitura atrasada do blog. Que aflição me passaram seus relatos sobre a doença gravissima dos seres que fazem a guerra.
Na guerra só há perdedores, sempre.
Somo muito imperfeitos mesmo, e primitivos...
Fiquei, por outro lado contente por ver as fotos tão lindas, pela união entre vcs e pela casa estar longe da "ratoeira".
Que continue como é. Só mesmo com amor e tolerancia pra essa humanidade brutalizada reencontrar seu caminho. É o que todos queremos.
Beijos,
Angela