segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Que tristeza!


Quero deixar registrada aqui a minha tristeza pela não eleição do meu irmão de Comunidade, Zé Nilson para a prefeitura de Quixadá. A cidade merecia um homem e um administrador da estirpe dele: homem de Deus, de verdade, coerente, de oração e conversão. Pai de família leal e vocacionado, bom nas relacionamentos humanos e na gerência criativa de poucos recursos, como tem feito por quinze anos com a Maternidade Jesus Maria José e com a Faculdade Católica Rainha do Sertão. Missionário consagrado da Comunidade de Aliança Shalom, pessoa de total confiança do bispo emérito, D.Adélio Tomazin, pessoa em quem se pode confiar, porque tem coragem e fé, ética e ficha de vida verdadeiramente limpa. Eu imagino a dor para todos que o cercaram e o apoiaram, arregaçando as mangas e dando tudo de si para que a mudança acontecesse. Mas parece que ainda não chegou a hora de Deus para este novo acontecer em Quixadá, pois ainda não aconteceu no coração das pessoas, os eleitores. O novo na ética, o novo na gestão dos recursos, o novo na valorização das pessoas segundo o que Deus pensa e quer para seus filhos. Ainda há muito que se educar em política na nossa nação...

Zé, obrigada por tudo! Fico meio sem palavras porque quando a decepção e a injustiça batem à nossa porta, há que se calar e olhar para Aquele que conhece todas as dores e nos aponta Sua Cruz gloriosa como esperança e sentido para tudo. Por ter sido a revisora do seu belo livro 'Mãos Múltiplas', me atrevo a dizer que 'te conheço' um pouco e por isso imagino que será no seio da família, no silencio diante da Imaculada, lá na serra, em oração, que você encontrará no seu Senhor o sentido para esta dor e a coragem para tomar fôlego - e também uma cerveja! - e seguir em frente como um homem que cada vez mais, mesmo não eleito para prefeito, tem se tornado referência e modelo para jovens, políticos e pessoas, qualquer pessoa que luta pelo bem comum, seja no Ceará, seja em qualquer município deste país!


Parabéns Zé pela sua vitória como cidadão, como filho de Deus, não somente por quatro anos, mas no decorrer de toda a sua vida!

Um comentário:

Álvaro disse...

Concordo inteiramente com você, Elena. Fiquei decepcionado com o fato do Zé Nilson não ter sido eleito. Seria uma oportunidade maravilhosa para um homem de Deus mostrar como se governa com ética cristã e competência administrativa, já provada e comprovada. Mas não desistamos de evangelizar esse meio, a política, tão necessitado do Shalom do Pai, da Verdade e do Amor.
Álvaro Amorim, consagrado Shalom.